Portugal um país em que a solidariedade enche o bolso de muitos e acaba no lixo

Aproximando-se a época natalícia vemos instituições como o banco alimentar entre outras nos supermercados a tentar angariar alimentos para os mais necessitados, uma boa causa claro , não fosse muitos se aproveitarem da generosidade mesmo sem necessitarem.

Já todos ouvimos que eles aproveitam os melhores produtos para si mesmos e depois dão os restos a quem precisa, assim como ja se ouviu que um grande senhor(não colocando nomes) recolheu os melhores produtos para o seu restaurante das doações em vez de entregar as doações a quem realmente precisa. Isso a parta depois de serem entregues acontece o que se vê nessa imagem:

Mais uma vez fizeram-me chegar esta foto. É aqui que muitos dos alimentos que são doados por nós a várias instituições de cariz solidário, vêem parar, ao lixo.

Eu pergunto a quem está à frente destas ditas instituições se têm pessoal qualificado para doar os alimentos a certas famílias. Famílias essas que deveriam ser sinalizadas. Porque ao estarem a dar alimentos a quem não precisa, estão a tirar a quem realmente necessita.


Não é a primeira vez que isto acontece, não vai ser a última vez com toda a certeza. Tudo leva a crer que quem está à frente de certas IPSS’S só lá esteja para encher a barriga com os fundos comunitários e subsídios do estado, que por sinal são os nossos impostos.

É lamentável. É triste. E é por isso que cada vez mais quero organizar a maior manifestação que Portugal já assistiu para lutarmos contra toda a escumalha corrupta que nos assalta os bolsos todos os dias.

Por causa de uns, pagam os outros.

Muito triste!

Já na Alemanha a imagem é muito diferente, enquanto aqui os supermercados enchem o lixo com lixívia para ninguém aproveitar o que lá esta, na Alemanha os supermercados colocam os produtos a findar a validade ca fora arrumado em vez de no lixo, para as pessoas mais necessitadas poderem levar sem qualquer custo ou risco.


Partilhe este absurdo, pois todos precisam de ver o que realmente acontece com o que doamos.