Ataques terríveis contra crianças homossexuais

Alexandre Ivo, 14 anos de idade. Torturado durante horas, teve todos os seus dentes arrancados antes de morrer, assassinos conseguiram limiar para responder em liberdade. Alexandre reagiu a ataques homofóbicos que sofreu na rua enquanto estava com seus amigos.


Alex Medeiros, 8 anos de idade. Fígado dilacerado pelo próprio pai que o viu lavando a louça, a briga iniciou porque essa atividade era “coisa de mulher”. Vizinhos relatam que ele sempre apanhava para levar “jeito de homem”.

Itarbeli Lozano, 17 anos de idade. Esfaqueado pela própria mãe, depois teve seu corpo queimado para não ser reconhecido pela polícia. Testemunhas relatam sucessivas brigas na família por Itarbeli ser gay. “Não aguentava mais ele”, a assassina disse em relato.


Rafael Melo, 14 anos de idade. Morto a pedradas. Mãe relata que filho sempre sofria ataques homofóbicos porque seu sonho era se tornar um grande estilista e gostava de fazer roupas.

Você, com qualquer idade para discernir o resultado de suas ações. Que em 2018 vai votar naquele político que defende “surra corretiva” para tratar homossexualidade. Que defende cura psicológica para o Alexandre, para o Alex, para o Itarbeli e para o Rafael. Suas mãos estão sujas de sangue.