Não use cubos de caldinhos. A maioria são um autêntico veneno!

(Última atualização em: 29 Março, 2019)

Os temperos artificiais com o nome de “caldos” que usas na cozinha são responsáveis pela incidência crescente de “doenças silenciosas”. Elas são autênticos pedaços de veneno com marcas famosas.
É provável que nem imagines, mas o Caldo Knorr, Maggi, Arisco, Ajinomoto, Kitano, Sazón e outros “alimentos” com o sabor realçado, contém glutamato monossódico.
[adinserter block=”6″]
O componente químico, longe de ser inofensivo para a saúde, é responsável por causar as mais diversas reações quando ingerido: enjoos, alergias da pele, vómitos, taquicardia, enxaquecas, arritmia cardíaca, tonturas e até depressão.
Usar temperos industrializados todos os dias pode causar sérios danos para quem os consome, pois o glutamato pode levar o sistema endócrino a produzir acetilcolina, substância que além de estimular a função muscular, reduz a absorção de glicose através dos neurónios. O resultado pode ser mais peso e até Alzheimer. Um caldinho muito perigoso e ao mesmo tempo bastante desagradável.

O famoso “gostinho” da comida chinesa que persiste no paladar dias depois de ingerido, demonstra com clareza a força do produto químico, que é usado em quase todos os pratos desse tipo de cozinha. Cubinhos de caldos de galinha, carne e legumes “da caixinha” são uma ameaça silenciosa à saúde de todos.
Ao bloquear as funções neurológicas do hipotálamo, que ajudam a controlar o apetite, o glutamato nos induz a comer mais de que necessitamos e com isso a obesidade só aumenta.
Queres uma solução simples, barata e saborosa?
[adinserter block=”6″]
Congele ervas e temperos naturais imersos em azeite, óleo de coco ou manteiga em formas de gelo. Podem ser usadas com a mesma praticidade que os cubos venenosos que a indústria alimentar química nos induz a comprar através de propagandas bem elaboradas e que, além de saudáveis, podem ter sabores totalmente individuais e serem até mesmo mais baratos que os cubinhos cheios de químicos prejudiciais à saúde.