Esta mãe trancou as 2 filhas num poço com água. Quando elas acabaram por sair, viram uma cena impactante.

Existe um país localizado na América do Sul que se caracteriza pelos desastres naturais que o atingem a cada ano. Terremotos, tsunamis ou vulcões em erupção destroem e tiram vidas de uma população cansada de perder tudo, mas também estranhamente otimista diante de qualquer adversidade. Estamos falando do Chile.

O ano de 2017 voltou a deixar sua estremecedora marca no país andino: imensos e incontroláveis incêndios florestais afetaram as zonas centro e sul no mês de janeiro e fevereiro. O verão não tem tido piedade alguma e tem registrado as temperaturas mais altas da história do Chile, o que junto com os fortes ventos e a negligência humana teve como consequência a perda de quase 600.000 hectares de bosque nativo e povoados rurais, além da vida de 11 pessoas, em sua maioria bombeiros ou habitantes das zonas afetadas.
[adinserter block=”8″]

No entanto, no meio de qualquer catástrofe sempre acontecem coisas que nos deixam de boca aberta. Essa vez não foi excessão: a história de uma família da comunidade de Hualqui, a apenas alguns quilômetros da cidade de Concepción, está dando a volta ao mundo.

Hualqui, como tantas outras partes do país, foi incinerada até o último escombro. A casa de Silvana García e sua família sofreu o mesmo destino: o fogo cercou o terreno e começou a encurralá-los. O perigo estava a apenas alguns metros e os havia deixado sem escapatória. Carlos, o marido dela, tentava combater as chamas jogando terra sobre elas, mas era tão ineficaz como tentar tampar o sol com a peneira.

Então, Silvana teve uma ideia. Ela pegou uma corda e pediu às suas duas filhas que fossem com ela até um poço com água no quintal. Chegando lá, as fez descer com a ajuda da corda e entrar na água. O poço tinha quase 3 metros de profundidade, mas, de alguma maneira, Silvana conseguiu fechá-lo com placas de zinco para evitar que as chamas entrassem. E assim eles esperaram.

Elas passaram quase duas horas lá, na escuridão e humidade do poço, enquanto todo o exterior se incendiava a temperaturas perto dos 1000ºC. Carlos, por sua vez, não viu aonde as mulheres tinham ido, e quando tudo tinha se acalmado, começou a procurá-las desesperadamente.
[adinserter block=”10″]


Foi assim que ele ouviu barulhos vindo de dentro do poço. Quando chegou perto, descobriu o que havia acontecido e a façanha surpreendente de Silvana. Ele ajudou as três mulheres a voltarem à superfície, onde contemplaram com horror as devastadoras consequências dos incêndios: sua casa, suas plantações e seus animais haviam sucumbido ao fogo. Mas o mais importante havia conseguido permanecer com vida: sua família.


Esta é apenas uma das incríveis histórias que rodearam os incêndios no Chile neste verão fatídico. Silvana e Carlos não esquecerão jamais a tragédia que quase acaba com a vida de suas duas filhas, e terão que trabalhar arduamente para recuperar tudo o que foi tomado. O futuro que os espera não é alentador nem simples, mas, pelo menos, é um futuro em que eles poderão permanecer juntos.

Neste vídeo você pode ver mais sobre a história de Silvana e Carlos (em espanhol):
[adinserter block=”8″]

Esperamos que as pessoas afetadas possam se recuperar logo dessa tragédia e que o Chile, novamente, tenha a força suficiente para voltar a se reerguer.