Gruta portuguesa entre as 15 mais bonitas do mundo

A maior parte das grutas faz lembrar uma de duas coisas: um conto de fadas ou um filme de terror, as mais assustadoras, claro. São formações geológicas que, na sua maioria, não foram modificadas pelo ser humano. Algumas têm um acesso difícil, outras podem até significar um perigo para quem as visita.

O Condé Nast Traveller elegeu as grutas mais bonitas do mundo, e uma delas é portuguesa.

 

Glaciar Vatnajökull, Islândia

O Glaciar Vatnajökull é a maior massa de gelo da Europa. As grutas neste glaciar têm uma fisionomia única e parecem formadas por bolhas de água azul turquesa.

 
[adinserter block=”8″]

Grutas de gelo de Valdez, Alasca, EUA

Valdez é uma cidade no Alasca. As grutas de gelo ficam no lago glaciar – formado pela água que derrete do gelo – e têm tons de azul turquesa.

 

Algar de Benagil, Algarve, Portugal

Fica no concelho de Lagoa, no Algarve. O acesso a esta gruta é feito apenas por mar, de barco ou a nado.

 

Grutas de Uplistsikhe, Geórgia

Uplistsikhe é um complexo de antigas grutas e túneis de todas as formas e tamanhos. Foi um dos primeiros centros urbanos do antigo Reino de Kartli (Geórgia clássica).

 

[adinserter block=”8″]
Gruta Son Doong, Vietname

Fica situada no Parque Nacional de Phong Nha-Kẻ Bàng. Em 1991, foi descoberta uma gruta por um habitante local. No entanto, foi em 2009 que um grupo de especialistas ingleses explorou o local e descobriu aquela que foi considerada a maior gruta do mundo.

 

Gruta Reed Flute, China

Fica a 5 km do centro de Guilin, Guangxi. É composta por pedras calcárias naturais e é repleta de estalactites, estalagmites e outras formações rochosas. Hoje em dia, é procurada por causa do espectáculo de luzes artificiais que iluminam a gruta e a tornam única.

 

Gruta de Gelo no Lago Baikal, Sibéria

O Lago Baikal fica no grande deserto da Sibéria, e é o mais profundo do mundo. É também conhecido como «O Olho Azul da Sibéria». No fim de janeiro, congela e assim se mantém durante cerca de cinco meses. Durante esta altura, formam-se grutas formadas de gelo.

 

Gruta Phraya Nakhon, Tailândia

Fica situada no Parque Nacional Khao Sam Roi Yot. Para conseguir lá chegar, é preciso caminhar durante 30 minutos, por uma subida íngreme de 430 metros, a partir da praia de Laem Sala.

 
[adinserter block=”8″]

Grutas Marble, Patagónia Chilena

Estas grutas são feitas de mármore azul e situam-se no Lago General Carrera.O reflexo da luz do sol na água provoca um efeito impressionante.

 

Gruta Devetashka, Bulgária

Tem sete buracos no teto da zona central da gruta, por onde entra a luz. É a casa de milhares de morcegos.

 

Cueva Ventana, Porto Rico

Parece uma janela com vista para o Rio Grande, mas é uma gruta formada num penhasco de pedra calcária. O acesso e visita tem o custo de 10 dólares.

 

Gruta de Fingal, Escócia

É uma gruta no mar, situada na ilha desabitada de Staffa, nas Hébridas Interiores. Faz parte de uma reserva nacional. O seu tamanho e a forma dos seus tectos faz com que o eco lá dentro seja bastante forte. É também conhecida como Gruta da Melodia, por essa mesma razão.

 
[adinserter block=”8″]

Grutas de Ajanta, Maharashtra, Índia

São um conjunto de grutas com pinturas rupestres de inspiração budista, que remontam ao século II a.C.

 

Grutas de Škocjan, Eslovénia

Ficam na região do Carso e têm cerca de seis quilómetros de comprimento. São também apelidadas de «Grand Canyon Subterrâneo», já que algumas partes das grutas chegam aos 200 metros de profundidade.

 

Gruta do Antelope Canyon, Arizona, EUA

A luz do sol que entra nesta gruta faz com que as suas paredes fiquem em tons de cor de laranja e cor de rosa, criando um efeito único.