Este Médico aconselha os pais a abortarem a menina. Anos depois, ele encontra esta carta em sua caixa de correio.

Uma carta emocionante escrita para o medico que aconselhou Kat Abaniac a abortar sua linda filha Emersyn, endereçada ao médico responsável por seus cuidados pré-natais muitos anos antes.

Foi a própria filha Emersyn a colocar a carta na caixa de correio.

Porem se Kat tivesse dado ouvidos ao seu medico Emersyn nunca tinha nascido. Quando este medico diagnosticou que a bebé ainda na barriga na mãe tinha Síndrome de Down, ele aconselhou -a a fazer um aborto.

Essa foi a razão de ela ter escrito esta carta emocionante, para que este medico nunca mais cometa esse erro de novo.

 

a0366206170be75282deb67de1b1648d


mãe escreve carta emocionate ao medico por reikoshayan

 

“Querido doutor,

Uma amiga contou me recentemente a respeito das visitas pré-natais. O médico viu os ultrassons dela e disse, “Ele é perfeito”. O filho dela nasceu com Síndrome de Down e ela voltou ao mesmo médico. Ele olhou directamente para o menino e disse, “Eu te disse. Ele é perfeito.”

A história dela abriu me os olhos. Eu tenho tanta gratidão pela experiência que minha amiga teve, mas também me encheu de tristeza porque eu gostaria que tivesse sido assim comigo. Eu gostaria que você tivesse tido a mesma atitude que aquele médico.

Eu fui até você em um dos momentos mais difíceis da minha vida. Eu estava aterrorizada, ansiosa e desesperada. Eu não sabia nada sobre o meu bebê, e era isso que eu precisava desesperadamente de você. Ao invés de apoio e encorajamento para aceitar nossa filha, você nos sugeriu abortá-la. Eu te disse o nome dela e você nos perguntou novamente se nós entendíamos quão ruim a nossa qualidade de vida seria com uma criança com Síndrome de Down. Você sugeriu que nós realmente reconsiderássemos a nossa decisão de continuar a gravidez. Desde aquela visita, nós odiávamos as consultas. O momento mais difícil da minha vida ficou quase insuportável porque você nunca me disse a verdade mais simples:

Minha filha era perfeita.

Eu não estou com raiva. Eu não sou amarga. Eu só estou muito triste. Estou triste de que cada pequeno batimento do coração não te encha de encantamento. Estou triste de que cada mínimo detalhe e o milagre daqueles doces dedinhos, pulmões, olhos e orelhas não te façam parar. Eu estou triste de que você estivesse tão errado ao dizer que um bebê com Síndrome de Down diminuiria a nossa qualidade de vida. E eu tenho medo de que você ainda esteja dizendo isso para futuras mães hoje. Mas, mais do que tudo, eu estou triste de que você nunca tenha o privilégio de conhecer a minha filha, Emersyn.

Emersyn não apenas melhorou nossa qualidade de vida drasticamente, mas ela também tocou o coração de milhares. Ela nos deu um propósito e alegria impossíveis de expressar. Ela nos presenteou com os maiores sorrisos, com as maiores risadas e os beijos mais doces que nós conhecemos. Ela abriu nossos olhos para a verdadeira beleza e para o amor puro.

a666d76454fe5767586670d7c96bbf91-800x523

Então, eu rezo para que nenhuma outra mãe tenha que passar pelo que eu passei. Rezo para que você veja a beleza verdadeira e o amor puro em cada vida mostrada em cada ultrassom. E rezo para que quando você veja o próximo bebê com Síndrome de Down encolhidinho com amor no ventre de sua mãe, você olhe para aquela mãe e me veja, e diga à ela a verdade:

“Seu filho é absolutamente perfeito.”

784f4e63341128628399c5545265cba5-800x517

Absolutamente radiante de felicidade Kat não se arrepende de nada e agradece não ter seguido o conselho do seu medico. A filha dela mesmo tendo Síndrome de Down é a luz da vida dela e a familia toda a adora.

Rhyan e Evynn Abaniac, de 15 e 11 anos, adoram a irmãzinha.

A vida sem Emersyn é inimaginável para a família inteira.

 

Kat espera que a sua carta salve alguns pais de tomarem a decisão errada quanto a esta doença, e é uma inspiração para todos. Não confiem so na opinião dos medicos por vezes a melhor decisão tem de partir do amor que sentem.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*