Este menino saiu para apanhar Pokemons. Três horas depois os seus pais não acreditar no que ele tinha trazido para casa.

Você alguma vez já começou a jogar um jogo e acabou por vive uma aventura? Bem, o menino desta história, sim.

No último verão, as temperaturas em Portalegre, chegaram a quase 43 ºC e só a ideia de estar em um lugar sem ar-condicionado já era o suficiente para derreter o seu cérebro. Mas isso não impediu Joel Almeida de sair para jogar Pokémon Go. O que ele não esperava era que, ao invés de encontrar um Pokémon, ele acabaria por encontrar algo muito mais… real.
[adinserter block=”8″]
Enquanto ele andava pelas ruas em busca do próximo Pikachu, debaixo do sol escaldante, ele ouviu um barulho que não conseguiu identificar. Parecia um pássaro, mas isso era impossível naquele calor. Ele escutou com mais atenção e percebeu que era um choro. Alguém ou algo estava a pedir ajuda. Percebendo que o barulho vinha de trás de uma caixa de energia, ele foi dar uma olhada.

Ali, preso num buraco bem pequeno, estava um gatinho, e a sua cabeça estava presa na caixa de energia. A pergunta era óbvia: como ele tinha conseguido entrar ali? Ao que parecia ele já estava ali preso por bastante tempo.

Mas de uma coisa Joel tinha certeza: de um jeito ou de outro, ele não deixaria o gatinho ficar ali, condenado à morte certa naquele calor infernal. Então, sem pensar duas vezes, ele chamou os bombeiros. Após muitas horas de trabalho duro tentando resgatar o gatinho de todas as maneiras possíveis, e com a ajuda da polícia, eles finalmente conseguiram salvá-lo da sua prisão.

A essa altura, Joel já se tinha apegado ao pequeno animal, então ele decidiu levá-lo para casa para que ele pudesse recuperar. Com a ajuda de seus pais, eles limparam o gato e colocaram curativos nas suas feridas. Eles também lhe deram remédio anti-pulgas. O pobre animal não era exatamente bonito (de fato, ele parecia um pouco com um rato) e não deixava ninguém se aproximar. Mas Joel não desistiu. Ele decidiu ficar com o gatinho.
[adinserter block=”8″]

Depois de um tempo, “Spock”, acostumou-se com a presença dos outros animais na casa e começou a se sentir parte da família. Ainda assim, ele ainda era um pouco tímido com qualquer um que tentasse tocá-lo.

Mas após quatro meses, tudo tinha mudado…

nem conseguimos acreditar que este é o Spock, o mesmo gato que há quatro meses parecia com um rato? Olhe como ele está agora! Ele é um gato lindo de pelo laranja e está enorme! Que transformação incrível. Spock também não tem mais medo de pessoas e gosta de um bom carinho.


Se alguém tivesse dito a Joel que jogar Pokémon Go o ajudaria a salvar a vida de um gato, ele certamente teria rido. Mas assim são as aventuras: nós nunca sabemos o que esperar delas.