“Eu morri hoje. Cansaste de mim e levaste-me ao canil…”

Eu morri hoje. Cansaste de mim e levaste-me ao canil. Eles estavam superlotados e eu fui o desafortunado.

Estou num saco de plástico preto num aterro sanitário agora. Um outro cachorrinho receberá a minha trela mal usada que deixei. A minha coleira estava suja e pequena demais, mas tiraste-me antes de me enviar para cá.

Eu ainda estaria em casa se eu não tivesse mastigado o teu sapato? Eu não sabia o que era, mas era de couro, e estava no chão. Eu estava apenas a brincar. Esqueceste de comprar brinquedos próprios para mim.

Eu ainda estaria em casa se eu tivesse sido domesticado? Esfregar o nariz no meu xixi apenas me deixou envergonhado de ter o nariz molhado. Existem livros e professores de obediência que teriam ensinado a ensinar-me a ir lá fora.

Eu ainda estaria em casa se eu não tivesse trazido pulgas para a casa? Sem medicamentos anti-pulgas, eu não conseguiria tirá-los de mim depois que me deixaste no quintal por dias.

Ainda estaria em casa se não tivesse latido? Eu só estava com medo: “estou sozinho, estou aqui, estou aqui! Eu quero ser o teu melhor amigo. ”

Eu ainda estaria em casa se eu te tivesse feito feliz? Bater-me não me fez aprender.

Eu ainda estaria em casa se tivesses tempo para cuidar de mim e me ensinar? Não me deste atenção depois da primeira semana, mas passei todo o tempo à espera que me amasses. Eu morri hoje.

O teu cão
(Texto ilustrativo)
Autor desconhecido