Porque é que NÃO se deve comer bolacha tipo “Maria”

Tenho a certeza que as seguintes frases estão a ecoar na cabeça de muitos leitores: “…Até no hospital dão bolachas Maria. Se não fossem saudáveis, não as davam aos pacientes…”, “Mas o meu nutricionista recomendou…” ou até ” O pediatra disse que já podia dar estas bolachinhas ao meu bebé”. Diferentes profissionais têm diferentes opiniões, por isso convido os leitores a continuarem a ler e decidirem por si mesmos!

Na imagem abaixo podem encontrar o rótulo de uma das marcas de bolachas tipo “Maria”.

(continue a ler abaixo da imagem)
[adinserter block=”8″]

Aqui fica uma pequena descrição dos ingredientes deste produto:

Farinha de trigo – causa inflamações, alergias, distúrbios gastrointestinais, desequilíbrio do pH, adição, diabetes, obesidade, etc…

Açúcar – causa aumento de gordura visceral, diminuição da sensibilidade insulínica, aumento do triglicerídeos (gordura no sangue), Diminuição do HDL (colesterol “bom”), Aumento do LDL (colesterol “mau”), Esteatose hepática, Inflamação Generalizada e está ligado ao aparecimento de carcinomas.

Gordura vegetal de palma – relacionada com várias doenças e grande impacto na natureza.

Xarope de glucose – versão “barata” do açúcar. Causa aumento de gordura visceral, diminuição da sensibilidade insulínica, aumento do triglicerídeos (gordura no sangue), Diminuição do HDL (colesterol “bom”), Aumento do LDL (colesterol “mau”), Esteatose hepática, Inflamação Generalizada e está ligado ao aparecimento de carcinomas.

Soro de leite em pó

Sal

[adinserter block=”10″]

E500ii – Hidrogenocarbonato de sódio – anti-acido, também usado na espuma de extintores, cerâmica, desodorizantes e droga “crack”.

E503ii – Hidrogenocarbonato de amónio – fermento que pode proceder à libertação de Amonio/Amoniaco quando presente a certas substancias

E322 – Lecitina

E223 – Metabissulfito de sódio: contêm sulfitos – aditivo tóxico quando consumidos em grande quantidade ou por pessoas alérgicas ou com com asma

E304i – palmitato de ascorbilo (obtido sinteticamente)

E306 – extracto rico em tocoferóis e contêm vitamina E

Aroma – obtido em laboratório

Ainda têm vontade de comer uma?
[adinserter block=”8″]
Mesmo sem entrar nos detalhes das quantidades de nutrientes (pois em 100 gramas do produto podemos encontrar 23 gr de açucares= 6 colheres de chá), digam o que disserem, para mim isto não é “comida de verdade”!

Alternativas: melhor é mesmo comer um punhado de nozes ou bagas e “saltar” os corredores de supermercado a transbordar de “E”s. Para quem não abdica mesmo da “bolachinha” aqui fica uma alternativa mais equilibrada: Bolachinhas caseiras

Fica a dica: os melhores alimentos são os que não têm rótulo (refiro-me a fruta, vegetais, nozes, etc.)

Partilhem o artigo de forma a alertar o máximo de pessoas possível para a importância da leitura dos rótulos dos alimentos.

Nota: o artigo é sobre a bolacha em questão por esta ser tão recomendada por profissionais de saúde, no entanto aplica-se à maioria das bolachas “de compra”.