Pastor evangélico com 60 anos casa com menina de 12 anos e justifica como acto de Deus

Compromete em casar com menina de 12…

Há pouco tempo, vários meios de comunicação em diversos países publicaram sobre um acontecimento bem controverso que envolve um pastor de 60 anos da Igreja Evangélica de Chaco, México. Jorge Federico Rico Villareal, que já há muito tempo realiza os cultos desta instituição na região, supostamente irá se casar com uma menina chamada Karla (à direita), que tem 12 anos de idade. Como se não bastasse, este homem esteve casado por 14 anos com uma mulher que o apoia em sua decisão.

[adinserter block=”8″]

Segundo afirmam os jornais, o pastor justifica este futuro matrimônio com sua fé. Ele diz que Deus o contou que sua esposa anterior havia sido infiel a ele e que deu a ordem para se casar com Karla. A esposa, Miriam Linda González Aceves, acredita que realmente foi a ordem do ”Altíssimo” e diz que não se opõe ao que foi ordenado. Também esclareceu que ele, o pastor, é um iluminado por Deus e que sempre cuidou dela sem se importar com seu comportamento.

Como era de se esperar, no dia 31 de Agosto a imprensa publicou essa história e milhares de mensagens de pessoas de todo o mundo invadiram a conta do Facebook do pastor com ofensas e insultos de toda natureza. Não só ele foi acusado de pedofilia, como sua esposa também. Porém, tanto Jorge quanto Miriam se defenderam dessas ofensas e explicaram que o pastor não pensa em casar-se com a menina antes que ela chegue aos 18 anos e que espera que a garota espere por ele e ainda o aceite.

[adinserter block=”8″]

Jorge Federico contou à imprensa que ele não se orgulhava de seu casamento e comunicou a verdade da união anunciada em 2 de Julho em seu Facebook, que já foi excluído neste final de semana e quase nada mais pode ser encontrado. “O jornal apontou como se eu tivesse me casado com ela, mas eu quero que entendam é que ela ainda não é minha esposa. Ela será somente quando completar 18 anos e se ela assim decidir. Parem de falar em vão e entendam isto. De todos os lados surgem fofocas e já fizeram muitas fofocas de mim desde sempre”.

“Por favor, sejam pessoas maduras e entreguem sua vida a Cristo para que possam julgar os outros com julgamento justo, como Ele nos diz em João 7:24: Não julgueis segundo as aparências, senão pelo julgamento justo” – Com estas palavras o pastor terminou de responder a um comentário bastante ofensivo a seu respeito em sua página no Facebook. Ainda não há relatos da menor sobre o assunto e parece que a mídia resolveu ignorar o assunto. Muitos sites retiraram as fotos do pastor bem como as notícias divulgadas sobre esta história, seja por medo de represália ou por ordem judicial.

Lendo os comentários deixados tanto pelo pastor quanto por sua ex-mulher, aparentemente eles acreditam que Deus fez com que Karla se apaixonasse por ele nas reuniões da igreja porque a intenção principal do pastor era casar-se com uma companheira ”limpa, educada e sem atos impuros, de acordo com os valores da igreja”. Desta forma, Jorge acredita ter a responsabilidade de instruir a menina ao longo de sua adolescência e não permitir que ela seja influenciada a ter atitudes ruins.
[adinserter block=”8″]


Muitos membros da igreja o consideram um homem correto e ”segundo o coração de Deus” e que talvez tudo foi um ”mal-entendido”. Casos assimacontecem todos os dias em várias igrejas e também fora delas. O pior de tudo isso é que muitas pessoas cegas pela fé não enxergam o que é feito pelos seus líderes, pois se ele está ali, liderando a igreja, é porque ”Deus quis, Deus o nomeou e, se Deus fez isso, é porque o homem é realmente confiável”.

Só que Deus disse em Jeremias 17:5 ”Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no outro homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor”. Com certeza esse pastor não prega isso aos seus fiéis porque, se assim o fizesse, nenhum deles confiaria neste homem que, muito provavelmente, não será punido e andará livremente cuidando de sua igreja e, quem sabe, escolhendo novas esposas como Karla, de somente 12 anos, enquanto puder.