Vítima de acidente grave escreve carta aberta ao Dr. Santana Lopes e ao INEM Para todos os portugueses de primeira e segunda

Este texto é para todos os portugueses lerem e reflectirem sobre a posição em que se encontram nesta sociedade e as dificuldades que o nosso sistema de saúde reflecte.

“Em primeiro lugar gostava de lhe desejar as melhoras e espero que recupere rápido do seu acidente.

Olá eu sou o Quim. No dia 01-12-2018 sofri um gravíssimo acidente de viação, do qual ainda estou a recuperar… Dr. Santana Lopes, queria dizer-lhe que tive o meu acidente perto de uma localidade chamada de Santana da serra, no Baixo Alentejo, ali a pouquinhos quilómetros da fronteira com o Algarve.

Confesso que fui super bem assistido pelos bombeiros que me socorreram. Mas sabe quantos quilómetros são do local onde tive o acidente até ao hospital distrital de Beja? São mais ou menos 60 quilómetros… Sabe como os fiz? Fi-los de Ambulância…

Após chegar ao Hospital e ter feito vários exames, foi decidido pela excelente equipa médica que me recebeu que eu tinha de seguir para Lisboa…Sabe quantos quilómetros são de Beja até Lisboa? São cerca de 180… Sabe como os fiz? Fi-los de Ambulância…

Quando cheguei a Lisboa, fui novamente examinado e fiz novamente vários exames…Os excelentes Médicos que me receberam em Lisboa, decidiram que eu tinha de ficar internado… Sabe quantos dias estive internado? Estive 40 dias no Hospital de São José, mais 39 que você.
[adinserter block=”8″]

Sr. Santana Lopes, eu não lhe peço muito… Apenas peço, se um dia vier a ser Primeiro Ministro do nosso PORTUGAL, não se esqueça do grave acidente que teve…Não se esqueça do quanto a VIDA é preciosa…Mas principalmente no que toca à saúde, peço-lhe, por favor, do fundo meu coração, para não se esquecer de acabar com os portugueses de primeira e segunda…É que eu com as dores que tinha também não me tinha importado de ir de Helicóptero.

Ps: (esta foto foi tirada quando estava no Hospital… No entanto, ainda estou a recuperar do acidente… UM MUITO OBRIGADO A TODOS OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE QUE TRATARAM DE MIM, Médicos, Enfermeiros e Auxiliares)”

Infelizmente em Portugal é assim, existem portugueses de primeira(elite) e os de segunda a quinta categoria.
E segundo informações recentes o carro não tinha seguro. Veja aqui.

Em contrapartida…ontem…

Jovem morreu em despiste na Lousã

Uma jovem de 24 anos morreu, esta madrugada, na sequência do despiste de um veículo ligeiro que ocorreu ontem, cerca das 22h00, junto ao Miradouro da Tarrasteira, na Estrada das Hortas, na Lousã.

Sara Ferreira, natural da Guarda, mas residente em Coimbra, onde estudava e trabalhava, acabou por não resistir à gravidade dos ferimentos.

A vítima «entrou em paragem cardiorrespiratória» no local. Os esforços das equipas de socorro, onde se incluiu a VMER de Coimbra, conseguiram fazer com que «a paragem fosse revertida», tendo a vítima sido transportada de ambulância 50 km para as urgências dos Hospitais da Universidade de Coimbra, onde acabaria por falecer.”

NOTE-SE…TRANSPORTADA DE AMBULÂNCIA POR 50KM!

Se tivesse os mesmos privilégios que Santana Lopes teve para 20 Km, se calhar teria sobrevivido
Infelizmente são milhares os casos de pessoas que morrem por falta de recursos perto de casa ou de transporte rápido.

Só por curiosidade…
Era bom saber o resultado do exame de alcoolémia efectuado, obrigatoriamente, ao Santana Lopes… e até de substâncias psicotrópicas…
Dele próprio, e de quem autorizou a utilização do helicóptero!…
Já que o carro 66-UU-33, segundo a ASF, nem seguro válido tem, à data/hora do acidente!…
E Paulo Sande afirmou que iam em excesso de velocidade!

Quando é que vamos parar de compactuar com isto. Partilhe, comente e mude.